Instituto Brasileiro de Museus

Museu Imperial

Museologia


CONTATO

Telefones: (24) 2233-0337/2233-0356/2233-0373/2233-0381

Email: ana.camargo@museus.gov.br


ATENDIMENTO AO PÚBLICO

Pesquisa presencial: de segunda a sexta-feira, das 10h às 17h, com intervalo para almoço (mediante agendamento).


REPRODUÇÕES

Disponibilização de imagens digitais do acervo museológico é realizado mediante preenchimento e assinatura de termo de uso de imagens e condicionado às normas institucionais de aprovação.


O Setor de Museologia é responsável pela guarda, conservação, pesquisa, documentação e exposição do acervo museológico do Museu Imperial que tem como foco principal o Primeiro e o Segundo Reinados, como também a história da cidade de Petrópolis/RJ.

O acervo sob guarda do setor é constituído de mais de 7 mil objetos tridimensionais, do período entre os séculos XVIII e XIX, distribuídas em diferentes categorias, como objetos de uso domésticos, objetos de uso pessoal, objetos de atividades artísticas, insígnias, objetos cerimoniais, veículos, entre outros. 

Como destaque no acervo museológico, pode-se citar o conjunto formado pelas insígnias imperiais, isto é, a coroa de d. Pedro II, o traje majestático e o cetro; a pena com a qual foi assinada a Lei Áurea; o acervo iconográfico, formado por cerca de 800 obras retratando personalidades e momentos históricos; e outros objetos que revelam o cotidiano da família imperial e da sociedade da época, como a coleção de indumentária composta por itens como uniformes, roupas de bebê, chapéus e leques.

Após a criação do Museu Imperial, em 29 de março de 1940, a formação do seu acervo teve início com a transferência das coleções do extinto Museu Histórico de Petrópolis. Ao longo dos anos, o acervo foi ampliado com a vinda de peças oriundas de outras instituições e órgãos públicos. Grandes doações de vários colecionadores como Guilherme Guinle, príncipe d. Pedro de Orléans e Bragança, conde Modesto Leal, Lineu de Paula Machado, Sérgio Eduardo Lemgruber, bem como os legados de Tobias Monteiro, Edmundo da Luz Pinto, Luísa Leite de Sousa e Ítala Gomes compõem o acervo. Muitos dos itens doados por colecionadores foram adquiridos no Leilão do Paço de São Cristóvão, realizado em agosto de 1890, composto por peças que pertenceram a Família Imperial Brasileira.

O Setor de Museologia também é responsável pela realização da maioria das exposições que podem ser de longa e curta duração e que são planejadas pensando-se sempre na divulgação do acervo da instituição e na comunicação deste com o público. Atualmente uma parte do total de itens sob a guarda do setor de Museologia, cerca de 10 % dos itens, encontram-se em exposição no Palácio, Pavilhão das Viaturas e Casa de Cláudio de Souza. 

A Reserva técnica é o local onde todo o acervo museológico não exposto é mantido, seguindo-se critérios de conservação como a observação das condições climáticas do ambiente, o acompanhamento e diagnóstico das condições físicas das peças, além da produção de acondicionamentos adequados para cada tipologia de acervo.

O Setor de Museologia, além de ser dedicado à preservação do acervo, está disponível para pesquisa onde os solicitantes, mediante agendamento, podem ter acesso à documentação museológica e ao acervo não exposto, sendo o setor espaço destinado à pesquisa e à consulta como as outras áreas destinadas a preservação de acervo de um museu.